Ocorreu um erro neste gadget

segunda-feira, janeiro 28, 2013


Resenha: A Luz Através da Janela - Lucinda Riley

Comments
Olá galera!

Nova resenha minha, espero que gostem, novamente quem quiser me visitar meu blog é o Falando Sobre Livros. =)

Vamos a resenha?



Título: A Luz Através da Janela
Autora: Lucinda Riley 
Editora: Novo Conceito
ISBN: 978-85-8163-114-1 
Páginas: 544





''O que você é deve-se a circunstâncias de nascimento; o que eu sou, sou por meus próprios méritos''



Emilie De Martinières é uma veterinária de 30 anos que mora sozinha em um apartamento na França. Vinda de uma das famílias mais tradicionais e importantes do pais ela tenta viver no anonimato. Com um triste passado de descaso e abandono pelos pais, ela tenta ser uma pessoa comum. 



Seu pai Édouard De La Martinières que já era um senhor de idade quando ela nasceu, apesar dele ser gentil e afetuoso, enquanto ela e a mãe passavam longas temporadas na casa de Paris ele vivia enclausurado em seu château no interior da França. Quado Emilie fez 14 anos ele veio a falecer.

Mas não pense que a história dele acaba por aí, Edouard tem um dos papeis mais importante dessa história, e junto de Emilie vamos descobrir a história dele, seu passado e sua importante porém sofrida participação na guerra contra Adolf Hitler na França á mais de cinquenta anos atrás.

Sua mãe Valérie era uma mulher muito elegante, que vivia nos rodeada de pessoas importantes nos grandes salões da França, ela adorava sua condição e posição social. Porém a última coisa de que ela se lembrava na sua grande lista de afazeres de socialite era sua filha.



''Emilie sabia que seu nascimento havia sido uma resposta relutante à necessidade de produzir um herdeiro para a linhagem dos De la Martinières. Uma exigência cumprida pelo senso do dever, não pelo desejo materno de gerar uma criança. Ao perceber que tinha uma “herdeira” nas mãos, o que era o menos desejável, Valérie ficou ainda mais desinteressada pelo papel de mãe''




O livro começa com Emilie no château por que sua mãe faleceu.



E eu, lamento...?
A pergunta surgiu clara na mente de Emilie. Voltou-se à cadeira 
e sentou-se, tentando encontrar respostas para as várias perguntas 
que essa morte lhe trazia, querendo somar e subtrair das colunas 
emocionais e encontrar uma sensação definitiva. Claro que isso era 
impossível. A mulher deitada de maneira tão patética, tão inofensiva 
agora, ainda era uma influência confusa e sempre traria o desconforto da complexidade. 
Valérie deu à luz uma filha, alimentou-a, vestiu-a e deu-lhe um 
lar de qualidade. Nunca chegou a lhe bater ou abusar. 
Simplesmente não notava sua existência. 
Valérie era uma pessoa, e Emilie esforçou-se para encontrar uma 
palavra para descrevê-la, desinteressada. E isso fez com que ela, no 
papel de filha, se tornasse invisível. 
Emilie estendeu a mão e a pousou sobre a de sua mãe. 
— Você não me via, mamãe... Não me enxergava.


Emilie é a última da linhagem dos  Martinières herdando tudo. Porém seu primeiro pensamento após o funeral de sua mãe é de vender tudo que a família lhe deixou e voltar a sua vida pacata de veterinária.

Mas depois de visitar o chatêau, e ver a coleção de livros do seu pai, ela começa a questionar o que poderia ser feito. 

Em um momento de muita vulnerabilidade ela conhece o charmoso e sedutor Sebastian Carruthers, um jovem que aparece do nada dizendo que sua vó conhecia a família deEmilie, querendo saber assim sobre o passado da sua avó. Com algumas surpresas do ''destino'' ele acaba sendo de muita ajuda para Emilie, ajudando  ela com as coisas de inventário etc.  Encantada com a simpática de Sebastian, confortada por seu apoio ela acaba se apaixonando por ele. Depois de poucos meses ele a pede em casamento. Ela sem nem pensar aceita, e o que prometia ser o começo de uma vida feliz, acabou se tornando um verdadeiro calvário.

A história vai ficando cada vez melhor, em  Blackmoor Hall na casa caindo aos pedaços do marido, ela conhece o problemático e estranho irmão dele Alex, que por sinal se torna um dos meus personagens preferidos, ele é muito inteligente, sagaz, cheio de piadas com humor negro. E muito diferente do que Sebastian conta.

Em viagens até o chêteau para supervisionar as obras ela vai conhecendo a história de sua família contada por um antigo amigo e funcionário de seu pai senhor Jacques. Descobrindo os laços que unem seu pai e a avó de Sebastian e Alex

Temos na verdade duas histórias sendo contada. A história de Emilie nos dias atuais e de seu pai e Connie avó de seu marido, nos tempos da guerra em meados de 1940 , uma história que vai explicar a vida dos Martinières.




''Conhecer seu passado é a chave para libertar seu futuro''

Esse livros é uma grande e emocionante aventura no tempo, onde vamos aprender que somente conhecendo seu passado, você pode conseguir seguir com seu futuro.

Só tenho uma reclamação, não entendi o que acontece com o filho de JacquesJean, deu a entender que ele gostava de Emilie fazia muito tempo, e que de certo modo ela retribuía o sentimento. O destino dele me pareceu incerto...

Adorei as narrações da época da guerra, pois foram usados muitos dados reais para ilustrar a história. São coisas que nos chocam. O fluxo de informações vai de uma forma encantadora e perfeita, nos deixando curiosos e revelando as coisas no momento certo. Preciso dizer se recomendo? =)

A capa, a fonte, está tudo perfeito!




                                                        Beijos
                                                                          Nita



/
Related Posts with Thumbnails
 

Design by / Thema base