Ocorreu um erro neste gadget

domingo, novembro 25, 2012


Filme: Tudo Pelo Poder.

Comments


Olá amigos,

Hoje irei falar de um drama político que assisti esses dias e gostei muito: "Tudo Pelo Poder" (The Ides of March), escrito e dirigido por George Clooney.

Na trama, adentramos os bastidores da política norte-americana e acompanhamos um jovem e promissor assistente de campanha chamado Stephen Myers (vivido pelo excelente ator Ryan Gosling) durante o período em que o governador Mike Morris (George Clooney) luta para garantir a indicação de seu partido à corrida presidencial.

Como sabem - e isso, confesso, sei por alto - os partidos possuem um tipo de eleição interna na qual os candidatos tentam garantir o apoio da população e obter o maior número de delegados para serem indicados como candidatos às eleições presidências, ou algo assim.

Bem, Myers, durante essa luta pela indicação de Morris, irá se deparar com situações na política que mudarão a forma como ele vê o mundo. O que não falta são trapaças no jogo pelo poder, vale tudo.

Sua inabalável e cega confiança no Gov. Morris sofre severos abalos no decorrer do filme e nós podemos perceber as mudanças que o personagem de Gosling sofre com as alterações de seu olhar e humor. Myers torna-se melancólico ao perceber que seu herói não é exatamente o que ele imaginava.

Em dado momento, para servir de choque com a realidade, Myers descobre que uma das belas estagiárias envolvidas na campanha teve um rápido flerte com o governador e está grávida. Esse incidente pode trazer graves consequências para a imagem de Morris. Por isso, sem hesitar, Myers decide resolver o problema e enquanto ele leva a jovem Molly Stearns (Evan Rachel Wood) para uma clínica de aborto, seu superior na campanha, Paul Zara (Philip Seymour Hoffman) resolve cortas as asinhas do subordinado, demitindo-o por uma suposta aliança política com a oposição.

É nesse momento do filme que a situação converge para a catástrofe: Molly, ao descobrir sobre a demissão de Myers e não se sabe por quais outras razões, comete suicídio.

O leitor que ainda não assistiu ao longa há de imaginar que Myers vai partir em uma busca por justiça ou algo do gênero, não? A atitude do rapaz é outra.

"Tudo Pelo Poder" pode não acrescentar nada de crítico ou novo à política, não possui como fim revolucionar nada, apenas contar uma história crível dos bastidores da mesma. O que merece grande destaque é a ótima direção de Clooney, em seu quarto filme no cargo e a esplêndida atuação de Gosling, que desde "Tolerância Zero" e "Um Crime de Mestre" tem merecido destaque como ator, talvez um dos melhores de sua geração.

O filme mostra que política é um jogo para tubarões, não há espaço para peixinhos. Os ingênuos ficam de fora.

Postado por Max.

Trailer: 

/
Related Posts with Thumbnails
 

Design by / Thema base