Ocorreu um erro neste gadget

terça-feira, outubro 23, 2012


Resenha: O primeiro dia

Comments
Oi gente!
A resenha de hoje é a primeira em parceria com a editora Suma de Letras, espero que gostem.

Autor: Marc Levy
Editora: Suma de Letras
ISBN: 9788581050980
Páginas: 367
Ano: 2012

Sinopse: Ambiciosa e apaixonada, a arqueóloga Keira comanda uma escavação no Vale do Omo, na Etiópia - e, quando uma tempestade de areia destrói o local, se vê obrigada a retornar a Europa. Mas traz consigo um estranho pingente, que recebeu das mãos de um menino etíope. Em Londres, disputando uma bolsa de pesquisa, seus caminhos se cruzam com o de Adrian, um renomado astrônomo - e seu ex-caso, de muitos anos atrás. Numa visita ao apartamento dele, ela esquece lá o pingente, acendendo em Adrian tanto interesse cientifico pela origem do artefato quanto o amoroso por sua dona. Logo se tornará claro para o casal que eles não são os únicos interessados no pingente, e que há gente disposta a tudo para consegui-lo. Keira e Adrian partem numa viagem que os levará a vários continentes, seguindo mapas traçados a partir das estrelas e pistas enterradas no solo. E sua meta é achar a resposta para perguntas que intrigam a todos desde o início dos tempos.

Sempre ouvi diversos elogios ao autor Marc Levy, e agora com esse livro em mãos compreendo o motivo de tanto elogio. A narrativa me ganhou já nas primeiras páginas, e mesmo com algumas descrições em excesso me encantei com "O Primeiro Dia".

Adrian é um astrônomo que vive em Londres, fascinado pelas estrelas desde criança, Keira é uma arqueóloga, sonha em encontrar o "avô" da humanidade por assim dizer. O passado de ambos se cruzaram, o que eles não esperavam era se reencontrar depois de tanto tempo, e ainda saírem em uma aventura mundo a fora tentando desvendar os mistérios por trás de um pingente, um objeto que Keira ganhou enquanto trabalhava nas escavações no Vale do Omo.

Até aí parece um enredo básico, de um casal que se reencontra e sai atrás de respostas, porém o pingente de Keira é alvo de grande perseguição, e há muitas pessoas querendo por a mão nele, e são pessoas que estão dispostas a tudo para descobrir os segredos que esse pingente guarda.

Como eu disse eu me encantei com a narrativa do autor. Os personagens são todos bem construídos e com individualidades que demarcam bem a personalidade de cada personagem. Um personagem bem marcante e que cumpre um papel essencial no livro é Ivory, ele é um grande mistério até agora, muito bem caracterizado e é quem faz o leitor ficar com uma curiosidade imensa a cada página, e por consequência a necessidade de ter a continuação do próximo livro em mãos é por conta dele também.
  
Pelo livro se passar em diversas partes do mundo, os capítulos se dividem por lugares, e cada capítulo tem um personagem em foco, em grande maioria a narrativa é feita em terceira pessoa, porém quando se trata de Adrian é feita em primeira pessoa. A mudança só trouxe pontos positivos para o livro, há sintonia entre os capítulos, independente da narrativa, conseguimos acompanhar melhor o livro vendo esses diversos pontos de vista, e quando se trata de Adrian, a narrativa em primeira pessoa faz com que o leitor se sinta mais próximo dele.

Minha única reclamação do livro é em relação ao excesso de detalhes que o autor coloca no texto, isso é positivo em alguns aspectos, já que conseguimos ter uma visão bem específica dos lugares, porém isso acabou me irritando em alguns pontos com o decorrer da leitura, acabou tornando o livro cansativo em alguns pontos.

Enfim, tirando esse ponto é um ótimo livro, o autor ganhou mais uma fã. Minha recomendação é que você leia o quanto antes, e olha a sorte, a continuação já está nas livrarias, então ninguém ficará aflito com o final.

Beijos
Lis

/
Related Posts with Thumbnails
 

Design by / Thema base