Ocorreu um erro neste gadget

domingo, agosto 12, 2012


Filme: O Corvo.

Comments

Olá pessoal,

Hoje irei falar do filme “O Corvo” (The Raven, 2012).

Dirigido por James McTeigue e estrelado por John Cusack, Luke Evans e a bela Alice Eve, o filme trata, de forma ficcional, dos últimos dias de vida do escritor Edgar Allan Poe.

Poe foi sem sombras de dúvida, um dos maiores escritores norte-americanos. Mestre da narrativa curta, erudito, refinado e sombrio. A literatura gótica e a policial encontraram nele um pai e um desenvolvedor sem igual. Dizem que os gênios são criados em meio à tempestades, Poe não fugiu a essa regra. Sua vida, assim como sua obra, foi cercada de sombras e turbulência. Até mesmo sua morte constitui um mistério para os pesquisadores; Poe ficou desaparecido por alguns dias e reapareceu em Baltimore em estado de delírio, balbuciando frases incoerentes, um nome foi várias vezes repetido por ele “Reynolds”. Aproveitando-se desse mistério o filme coloca o famoso escritor como um detetive.

Na trama do longa, Poe encontra-se em Baltimore, onde vive precariamente de seus escritos e críticas literárias, enquanto flerta com a jovem Emily Hamilton. Quando um bizarro assassinato chama a atenção do detetive Emmett Campos por sua peculiar semelhança com o conto do escritor intitulado “Os Assassinatos da Rua Morgue”, Poe se vê em meio a uma investigação para encontra o autor do brutal crime. 

Logo fica claro que o criminoso se inspira nos contos de terror e assassinato do escritor para matar suas vítimas. Mais que isso, trata-se de um admirador doentio do autor que, para desafiar sua mente analítica o desafia a encontrá-lo. Com esse objetivo, o facínora rapta a jovem Emily durante um baile de máscaras.

O tempo está correndo, agora Poe e o detetive Campos devem unir suas forças seguindo a trilha de pistas deixadas pelo assassino para encontrarem Emily viva.

Com várias referências aos contos e poemas do escritor o filme garante um bom entretenimento, mas é só isso. Não digo que seja ruim, apenas que não é o filme policial mais criativo que já assisti e, em se tratando de um filme cujo personagem principal foi o pai do gênero literatura policial, eu esperava mais. Ao menos um roteiro tão criativo quanto os contos do mestre Poe.
 
Literatura policial, assim como filmes do gênero, deve possuir uma trama tal que possibilite ao leitor ou espectador ir tentando montar o quebra-cabeças apresentado e, eventualmente, descobrir no desfecho, que estava enganado. Mais que isso, ao montar mentalmente o quebra-cabeças que constitui o mistério, o quadro que se apresenta deve ser coerente e tão bem constituído que deixe-o perplexo com a genialidade do autor ou do roteirista. Não é o caso aqui. O filme até que tenta, nos conduzindo a uma série de pistas falsas, mas falha nos motivos do assassino, o simples fato de ser um maníaco por si só não explica muito.

Mais, como disse acima, isso não torna o filme ruim. Vale a pena assisti-lo, não é pior que “Sherlock Holmes” de Guy Ritchie. Ao menos vale de uma coisa: desperta o interesse do leitor para as obras do escritor. Confesso que, ao terminar de assistir ao filme, tirei um dos livros de contos de Poe da estante e reli alguns deles. São fantásticos.

Elenco: John Cusack, Luke Evans, Alice Eve, Brendan Gleeson, Oliver Jackson-Cohen, Kevin McNally, Sam Hazeldine, Pam Ferris.

Trailer:


Max.

Também publicado no blog do autor: http://maxliteratura.blogspot.com.br/
/
Related Posts with Thumbnails
 

Design by / Thema base