Ocorreu um erro neste gadget

quinta-feira, julho 12, 2012


Resenha: O Torreão

Comments
Oi galera, como anda o ritmo de leitura de vocês?
O meu está num ritmo melhor que o esperado, mas veremos é só o começo das férias né!

Autora: Jennifer Egan
Editora: Intrínseca
ISBN: 9788580571905
Páginas: 240
Ano: 2012

Sinopse: Nos confins da Europa Oriental, um misterioso castelo resistiu a centenas de anos, apoiado no orgulho e na tradição de uma família.
Até que Danny, um cínico nova-iorquino de trinta e seis anos que raramente vai a algum lugar que não tenha conexão wi-fi, chega para ajudar seu enigmático primo a reformar o castelo e transformá-lo em um hotel de luxo.
Mas as coisas começam a ficar estranhas. Uma baronesa sinistra, um trágico acidente em uma piscina mal-assombrada, um traiçoeiro labirinto subterrâneo... Quando o pânico toma conta de Danny, ele descobre que a "realidade" pode ser algo em que ele não consegue mais acreditar.

Este é o segundo livro da autora que leio, o primeiro "A Visita Cruel do Tempo" já foi resenhado aqui no blog e se você não conferiu a resenha é só clicar aqui!
No primeiro livro que li da autora me encantei com a escrita dela, e foi por este motivo que me interessei neste segundo livro, e sem saber de nenhum detalhe do livro embarquei na leitura.

De início já digo que a sinopse não faz jus ao livro, se bem que fazer uma sinopse deste livro é uma coisa meio complicada.
O livro compreende duas histórias que são narradas em capítulos alternados, de um lado temos Danny, um nova-iorquino que está sem muitas alternativas onde mora, e acaba recebendo um telefonema de um primo que no passado sofreu nas mãos de Danny, agora fica a dúvida, este telefonema é apenas negócios ou uma tentativa de vingança do primo.
E do outro lado temos a história de Ray, que está cumprindo pena já há algum tempo, e surgiu a oportunidade de um curso de escrita criativa na penitenciária, do qual passa a participar.

Além de duas histórias, temos dois tipos de narrativa. Quando o foco é Danny a narrativa é feita em 3ª pessoa, sempre com foco no cotidiano do rapaz.
Se tratando de Ray a narrativa é feita em primeira pessoa, o que é ótimo, pois já no início do capítulo já se identifica de quem o mesmo irá tratar.

Aí você pensa: "Em que ponto uma coisa liga a outra?" E é aí que afirmo que virei fã da autora. Ela consegue ligar um fato ao outro, e expor de um jeito que torna tudo mais interessante, fisgando o leitor até ele descobrir o que uma história tem com a outra e quando descobrimos, queremos é entender o motivo de uma história estar ligada a outra.

Porém nem tudo são flores né pessoal, pelo modo que a autora escreve temos muitos detalhes, e infelizmente algumas pontas ficaram soltas no enredo. Uma história se encerra perfeitamente, com mais detalhes do que eu esperava e a outra acaba deixando alguns personagens a esmo, sem um esclarecimento ao leitor. Mas pelo fato de uma narrativa complementar a outra isso acaba não prejudicando tanto a leitura, embora fruste um pouco.

Bom, foram poucas páginas, e novamente a autora me cativou com o seu trabalho. Se você ainda não conhece a escrita dela, agora você tem duas alternativas.

Beijos
Lis
/
Related Posts with Thumbnails
 

Design by / Thema base