Ocorreu um erro neste gadget

domingo, dezembro 30, 2012


Filme: Millenium - Os Homens que Não Amavam as Mulheres.

Comments
Olá amigos, 

Para fechar bem o ano de 2012 no tocante ao cinema, eis um bom título para finalizar minhas postagens desse ano: “Millenium - Os Homens que Não Amavam as Mulheres” (The Girl with the Dragon Tattoo).

Baseado no romance homônimo do escritor sueco Stieg Larsson, o filme é um dos melhores que assisti esse ano. Um thriller policial impactante e envolvente. Só não sei o motivo do título no Brasil não ser "A Garota com a Tatuagem de Dragão" o que, em minha humilde opinião, seria mais coerente com os demais títulos da trilogia, que fazem referência à personagem Lisbeth Salander.

Apesar de não ter lido a trilogia - coisa que pretendo fazer dentro em breve - já havia assistido a versão sueca do filme. Quando anunciaram que David Fincher iria dirigir um remake norte-americano eu fiquei empolgado e aguardei. Nunca uma espera foi tão bem recompensada, a versão de Fincher é soberba.

Não irei comparar aqui as duas, por vários motivos. Fiquei surpreso com a atuação de Rooney Mara como Salander, visto que Noomi Rapance tinha dado a essa extraordinária personagem feminina um carisma tal que acabou sendo convidada a revivê-la na versão americana, convite que ela recusou. Mara conseguiu, se não superar, igualar-se em talento à Rapance. Logo, Lisbeth Salander, a personagem feminina mais forte e conturbada da literatura mundial nos últimos anos, ganhou duas intérpretes fortes.

Bem, vamos ao que interessa:

Na trama de "Millenium" acompanhamos o jornalista Mikael Blomqvist (vivido por Daniel Craig) que após ter sua reputação arruinada em um processo por difamação contra o corrupto e escorregadio empresário  Hans-Erik Wennerström, decide trabalhar em uma investigação particular para o poderoso magnata sueco Henrik Vanger, em troca de informações que possam desmascarar Wennerström.

A missão não é nada fácil: Mikael deve investigar o assassinato da jovem Harriet, sobrinha de Vanger, desaparecida há quarenta anos. A suspeita do patriarca é de que ela foi morta por algum membro da família e o assassino, talvez para torturá-lo, lhe envia todos os anos um presente peculiar, um que só a jovem oferecia.

Ao iniciar a investigação, Mikael não imaginava que iria mergulhar em uma escuridão tão grande. Indícios encontrados por ele levam a crer que a jovem foi vítima de um assassino em série ritualístico, cujas primeiras vítimas eram todas mulheres de origem judia, mortas entre os anos de 1947 e 1967.

Agora, investigando esse passado sombrio em busca de respostas sobre o que de fato aconteceu com Harriet, Mikael faz uma terrível descoberta: o assassino ainda está vivo e mais próximo do que ele imagina.

Para a sorte de Mikael, ele não embarca nessa missão sozinho. A jovem e incomum Lisbeth Salander, uma hacker talentosíssima, com memória fotográfica e muita determinação, decide ajudá-lo a desvendar esse mistério.

Lisbeth em si é um mistério à parte, a jovem de 23 anos é tutelada pelo governo sueco por ser considerada mentalmente incapaz em decorrência de fatos não muito claros ocorridos em sua infância. Como tutelada, ela possui um tutor responsável por gerir suas finanças e produzir relatórios sobre seu comportamento e vida. Ocorre que o novo tutor de Lisbeth quer algo mais dela: em troca de liberar dinheiro, o canalha passa a extorquir favores sexuais dela, chegando ao ponto de violentá-la. Mas Lisbeth não é a típica mocinha dos filmes, ela tem garras e sabe dá o troco.

Juntos, Mikael e Lisbeth formam uma dupla implacável em busca da verdade. 

Gostei muito do filme, ele possui algumas diferenças em relação ao sueco, mas isso só contribui para garantir uma nova experiência para o espectador. Uma direção grandiosa, um elenco de primeira, uma trilha sonora de arrepiar e uma história ao melhor estilo noir mas à sueca, "Millenium - Os Homens Que não Amavam as Mulheres" entrou para a minha lista de futuras aquisições. Quero tê-lo em minha coleção.

Elenco: Daniel Craig, Rooney Mara, Christopher Plummer, Stellan Skarsgard, Steven Berkoff, Joely Richardson.

Postado por Max.

Também publicado no blog: http://maxliteratura.blogspot.com.br/

Trailer:

domingo, dezembro 23, 2012


Filme: Os Vingadores.

Comments

Olá amigos,

Hoje irei falar de um dos melhores filmes de 2012: Os Vingadores.

Demorou mais valeu a pena. Loquei o DVD, preparei a pipoca, repousei confortavelmente na minha poltrona e apreciei o show com qualidade HD em uma tela de 47".

O filme, talvez um dos mais aguardados pelos fãs dos super-heróis Marvel, desde que foi anunciado em 2005, é dirigido por Joss Whedon e estrelado por Robert Downey Jr, Chris Evans, Chris Hemsworth, Scarlett Johansson, Samuel L. Jackson, Mark Ruffalo, Jeremy Renner, Cobie Smulders, Tom Hiddleston, Stellan Skarsard e Gwyneth Paltrow. Enfim, um elenco de primeira.

Na trama, que mescla todos os acontecimentos pontuados nos filmes do Homem de Ferro, Thor e Capitão América, o vilão Loki apodera-se do Tesseract, aquele cubo azul que possui uma energia incalculável e que pode abrir um portal entre o nosso mundo e outros universos.

Loki consegue escapar do cerco da SHIELD e coloca em prática seu plano de dominar a Terra, com o auxílio de uma raça alienígena chamada Chitauri, cujo objetivo é dominar todo a galáxia.

Sem outra alternativa para combater a ameaça iminente, o líder da SHIELD, Nick Fury, ativa o projeto "Vingadores" e recruta os maiores heróis do planeta para defendê-lo.

Assim, Steven Rogers (Capitão América), Tony Stark (Homem de Ferro), o deus do trovão Thor, o Dr. Bruce Banner (Hulk) e os agentes Natasha Romanoff (Viúva Negra) e Clint Barton (Gavião Arqueiro) se unem para recuperar o Tesseract e derrotar as forças de Loki.

Claro que não é tão simples. Antes de tudo, os heróis terão de deixar as diferenças de lado e aprender a trabalhar em equipe, isso se a arrogância de Tony Stark, o temperamento de Thor e a fúria acima de qualquer controle do Hulk permitirem.

O filme possui cenas de ação de tira o fôlego. Quanto a história, bem ela se adéqua perfeitamente ao Universo Marvel descrito nos cinemas. Para um filme de super-heróis é óbvio que não teremos uma trama tão inteligente quanto  "A Origem". O negócio aqui é ação, ora. Nem por isso o roteiro é fraco, possui várias reviravoltas e nossos heróis passam por maus bocados antes de combaterem a invasão alienígena na batalha final, que, diga-se de passagem, possui uma duração gratificante. É muito bom ver a entrosação dos heróis em meio a uma batalha no céu e no chão. Pobre Nova York, é praticamente devastada!

Ademais, para quem imaginava que o Robert Downey Jr. brilharia como astro principal e os demais  seriam apenas meros figurantes, aqui vai: todos têm o seu momento de grandeza, todos os astros e seus respectivos personagens possuem suas grandes cenas.

Enfim, o que mais eu poderia dizer sobre a terceira maior bilheteria de todos os tempos? O filme possui tudo o que você pode desejar no primeiro filme da maior equipe de super-heróis dos quadrinhos: ação, aventura e um humor descontraído, fora, claro, uma porrada de frases de efeito.

"Os Vingadores" figura como um dos melhores filmes que assisti nesse ano. 

Ficou um gostinho de quero mais. Tomaram que não demorem muito para produzir "Os Vingadores 2", mas isso só deverá ocorrer quando lançarem mais filmes individuais com os personagens.

Postado por Max.

Também publicado no blog do autor: http://maxliteratura.blogspot.com.br/

Trailer:

quinta-feira, dezembro 20, 2012


Resenha: Os deixados para trás

Comments
Bom dia gente!
Como anda os preparativos para as festas de fim de ano? Divulgaram bem as listas de livros desejados?

Autor: Tom Perrotta
Editora: Intrínseca
ISBN: 9788580572148
Páginas: 317
Ano: 2012

Sinopse: O que aconteceria se, de repente, sem nenhuma explicação, pessoas simplesmente desaparecessem, sumissem no ar? É o que os perplexos moradores de Mapleton, que perderam muitos vizinhos, amigos e companheiros no evento conhecido como Partida Repentina, precisam descobrir. Desde o ocorrido nada mais está do mesmo jeito - nem casamentos, nem amizades, nem mesmo o relacionamento entre pais e filhos. O prefeito da cidade, Kevin Garvey, quer acelerar o processo de cura, trazer um sentimento de esperanças renovadas e propósito para sua comunidade traumatizada. Ainda que sua família tenha sido desfeita com o desastre: sua esposa o deixou para se juntar a um culto cujos membros fazem voto de silêncio; seu filho, Tom, abandonou a faculdade para seguir um profeta duvidoso chamado Santo Wayne; e sua filha adolescente, Jill, não é mais a dócil estudante nota dez que costuma ser. Em meio a tudo isso, Kevin ainda se vê envolvido com Nora Durst, uma mulher que perdeu toda a sua família no 14 de Outubro e continua chicada com a tragédia, apesar de se esforçar para seguir adiante e recomeçar a vida.


Imagine uma situação em que sem motivo algum a pessoa bem ao seu lado some, e não é virar as costas e sair, simplesmente sumir no ar, como se tivesse evaporado. E foi isso que aconteceu no 14 de Outubro, várias pessoas sumiram e ninguém consegue explicar como, nem mesmo as testemunhas presentes no momento desta tragédia.
Por consequência, a cidade de Mapleton entra em crise, e cada um tem sua maneira de superar esta perda, e é exatamente isso que o livro mostra, o comportamento dos Deixados para Trás.

Cada pessoa lida com a perda de um jeito, há os revoltados, que afirmam que foram esquecidos por um deus e que isso não é justo, os que simplesmente pararam na vida por conta do desastre, outros criam cultos, enfim todos acabaram sendo afetados, seja por algum amigo próximo ou alguém de dentro da própria casa.

Mesmo a ideia seja mostrar apenas o que aconteceu com os que ficaram eu senti falta de uma explicação maior sobre essas pessoas que sumiram, em nenhum momento esse ponto de vista é explorado. Vez ou outra é narrada uma cena com essas pessoas, mas isso acontece quando um personagem está remoendo o passado, relembrando algum momento com os familiares e raríssimas as vezes em que é narrado o momento desse sumiço inesperado.

Neste livro não temos um personagem principal, embora a maioria dos acontecimentos giram em torno do prefeito Kevin e seus familiares, todos os personagens tem seu espaço e contribuem de maneira igual para o desenvolvimento do livro, e mesmo com esse complemento entre um personagem e outro algo no livro deixou a desejar, a narrativa acaba sendo cansativa. O enredo é interessante, mas não funcionou como livro. Tom Perrotta está adaptando o romance para uma série na HBO, creio que como seriado irá funcionar mais, tem potencial para isso.

"Deixados para Trás" acaba sendo uma trama sem muito o que esperar, não ficamos ansiosos para o final, não há aquela necessidade em saber os desfechos de cada personagem, são pessoas que sofreram com uma grande perda e agora tentam retomar suas vidas, é apenas a narração do cotidiano dessas pessoas e como elas estão trabalhando para superar essas mudanças drásticas.

Ah, e a Intrínseca fez duas versões da capa, confiram a segunda:


Então é isso galera, se vocês querem conhecer a história antes que vire seriado, recomendo a leitura.

Beijos
Lis

quarta-feira, dezembro 19, 2012


E o que vem por aí... Lançamento: Cidade das Almas Perdidas e Dezesseis Luas virando filme!

Comments



Editora Galera Record anuncia! Está chegando o mais novo volume de uma das séries mais famosas do momento.

A série "Instrumentos Mortais", da Cassandra Clare, figurinha repetida nas listas dos melhores livros, autores e entre os líderes de vendas, não deixou a desejar mais uma vez!

"City of Lost Souls", quinto volume da série, ficou entre os livros mais vendidos do ano na Amazon.com! A obra de Cassandra Clare ficou em 6º lugar na lista de mais vendidos, na categoria de livros para crianças e adolescentes.

No Brasil, a Galera já lançou os quatro primeiros volumes da série e "Cidade das Almas Perdidas" está previsto para MAIO do ano que vem.
 
Eu ainda não comecei a ler a série, mas vou começar logo, para poder ler o quinto volume assim que for lançado. =)










Essa galera promete ser a nova sensação do momento, algumas bocas dizem ser o substituto de ''Crepúsculo'' (não curto comparar) essa nova adaptação literária é baseada no livro ''Dezesseis Luas''(Beautiful Creatures) da autora Kami Garcia e Margaret Stohl, publicado no Brasil pela Editora Galera Record. O tema central é''Bruxas'' o que vai ser bem legal para dar uma mudada no quadro ''Vamps'' que estamos tendo hoje em dia. Com muitos atores ainda desconhecidos pelo grande publico, ele promete surpreender, ainda mais por ser uma filme da grande Warner. 
Com o fim do meu amado ''Harry Potter'', esse pode ser o novo investimento milionário deles. Afinal nada como filmes baseados em Best-Sellers para virar a cabeça da galera e engordar alguns bolsos.




Estréia nos EUA em 13/02/2013 e no Brasil programado para 07/2013


Sinopse filme: Ethan Wate (Alden Ehrenreich), é um estudante de colegial que fica enfeitiçado por Lena Duchannes (Alice Englert), aluna nova, de 16 anos, que acaba de chegar de outro estado - e com quem ele estranhamente tinha pesadelos há meses. Os dois se unem para enfrentar uma maldição sobrenatural que persegue a família dela há gerações: sempre que uma Duchannes completa 16 anos, ela deve escolher se será para a vida toda uma feiticeira do Bem ou do Mal.



Trailer



O livro: Dezesseis Luas - Kami Garcia e Margaret Stohl


Quando Lena chegou a Gatlin, eu só tinha certeza de uma coisa: ela não se parecia com ninguém que o pessoal daqui já vira. E as diferenças não estavam apenas na aparência.
Eu tinha certeza que já havíamos nos encontrado antes, talvez nos sonhos. É, sei que parece idiota, mas eu vinha sonhando com alguém há tempos, alguém que eu não conhecia, alguém que, no sonho, precisava ser salva, ou tipo isso.
Antes de Lena eu estava contando os meses para deixar Gatlin, mas agora era diferente: havia Lena. E havia algo entre nós, uma atração que eu não conseguia explicar. Eu precisava conhecê-la melhor e entender o que eu estava sentindo. Mas, para me aproximar, teria que enfrentar o tio com fama de louco dela; Amma, nossa governanta supersticiosa, que tinha praticamente me criado; meu pai, que desde a morte de minha mãe só ficava trancado no escritório “trabalhando”; meus amigos e inimigos, as garotas populares da escola...
E ainda havia o segredo, um tipo de segredo que não ficaria oculto por muito tempo em um lugar como Gatlin, um tipo de segredo que pode mudar tudo a sua volta... 


Titulo: Dezesseis Luas - Kami Garcia e Margaret Stohl
Ano: 2011
Série: Beautiful Creatures
Páginas: 490
ISBN: 9788501086914


Já está disponível seu segundo volume no Brasil

Dezessete Luas
 

Sinopse: Juntos, Ethan e Lena podem enfrentar qualquer ataque de Gatlin. Ao menos era assim que funcionava antes de Lena sofrer uma perda trágica e começar a se afastar e guardar segredos que estão testando o relacionamento. E agora que Ethan abriu os olhos para o lado negro de Gatlin, não há como voltar atrás. Assombrado por estranhas visões que somente ele consegue ver, Ethan vai sendo puxado cada vez mais para dentro da história confusa de sua cidade.




 Beijos
     Nita

terça-feira, dezembro 18, 2012


Resenha: Amada Imortal

Comments
Oi gente, todo mundo bem?
A resenha de hoje é de um livro que me ganhou pela capa, 'bora conferir?!

Autora: Cate Tiernan
Editora: Galera Record
ISBN: 9788501-9265-6
Páginas: 279
Ano: 2012

Sinopse: Primeiro livro da bem-sucedida trilogia, mistura de fantasia sobre imortais a uma história moderna de uma jovem em busca de si mesma e de redenção. Questões de identidade e moralidade aparecem na trama, protagonizada pela imortal Nastasya. Nascida em 1551, acostumada a beber e sair para baladas cada vez mais loucas, ela perdeu o rumo. Suas conexões com outros imortais, interessados apenas em suas habilidades mágicas a fazem partir em busca de um propósito. E o encontra em uma espécie de clínica de reabilitação para os da sua espécie, onde conhece um pouco mais sobre o próprio passado e cria importantes laços para o futuro.


Fugir um pouco do que o cotidiano nos dá já é um alívio, fugir para um mundo totalmente diferente, com imortais e coisas que não fazem parte do nosso dia-a-dia é melhor ainda. E é por isso que esse gênero me atrai tanto, e portanto eu não deveria deixar de ler este livro, já que o título já deixa claro que o enredo foge do "normal".
E foi esperando algo bem sobrenatural que embarquei na leitura de Amada Imortal.

O livro nos apresenta os Imortais na visão de Cate Tiernan, pessoas que aos olhos dos outros são normais, mas vivem muito tempo além do normal, e possuem o dom de fazer determinados feitiços, alguns simples, outros mais poderosos e perigosos, feitiços denominados como magick.

Nastasya, que já está na casa dos 400 anos, e nesses anos todos de vida está cada vez mais frustrada pelo estilo de vida que vem levando, festas, bebedeiras e além de usar o poder que tem somente para coisas frívolas. Sempre levou a vida assim, porém quando passou a enxergar realmente o que estava acontecendo, não só o seu comportamento, mas também o estilo de vida de seus amigos imortais e como eles usavam de seus poderes da maneira mais fútil possível, e foi aí que resolveu mudar de vida.
Resolveu se isolar dos supostos amigos, foi para uma espécie de "clínica de repouso" para os imortais. O que a princípio era uma tentativa de fugir desses supostos amigos acabou se tornando uma maneira de se reencontrar, e tentar compreender mais do seu passado.

Como eu citei ali em cima, há os motivos específicos para eu adorar este gênero, e infelizmente eles não se fizeram tão presentes neste livro. Há a questão dos imortais e a magick, porém são poucos explorados se comparado aos dilemas pessoais da protagonista.
O livro é bom, a trama é interessante, só não é o que eu esperava, acabei me surpreendendo um pouco por isso.

A narrativa é feita em primeira pessoa por Nastasya, e é o tipo de narrativa que deixa o leitor próximo da protagonista. Acho bem legal quando o autor consegue criar esta sintonia com o leitor, principalmente porque a protagonista não é chata nem exagerada no drama sem sentido.

E como citei livro é uma trilogia, e o final com certeza é de dar uma certa aflição para ler a continuação, o primeiro livro me agradou, mas tenho certeza que o segundo será onde as coisas vão acontecer de fato.

Beijos
Lis

domingo, dezembro 16, 2012


Filmes Colombiana e A Hora do Espanto.

Comments

Olá amigos,

Hoje irei falar de dois filmes: "Colombiana" e o remake de "A Hora do Espanto". O primeiro é um excelente filme de ação, o segundo uma nova versão de um clássico dos anos oitenta que misturava terror com humor, como tantos outros da época.

Em "Colombiana", Zoe Saldana vive Cataleya Restrepo, que após testemunhar o brutal assassinado de seus pais quando criança decide se tornar uma assassina profissional. Para isso, ela deixa Bogotá, Colômbia e parte para os Estados Unidos em busca do que restou de sua família: seu tio Emilio (Cliff Curtis). Emilio, assassino profissional e narcotraficante, aceita treinar a sobrinha. Quinze anos depois a garotinha cresce e se torna uma das mais letais assassinas profissionais do pedaço. Entre um serviço e outro, selecionados por seu tio, ela busca e elimina os mafiosos ligados ao chefão do crime que matou seus pai. Como uma forma de enviar uma mensagem ao seu alvo, ela desenha uma flor, uma cataleya, nas vítimas. Contudo, essa busca desenfreada por vingança pode custar caro, mas Cataleya está disposta a pagar o preço que for. Enquanto foge de um obstinado agente do FBI, ela tenta localizar o seu último alvo.

O filme é eletrizante, para quem curte filmes de ação, eis um prato cheio. Zoe Saldana está incrível como uma assassina profissional.

A direção do longa ficou por conta de Oliver Megaton. No elenco, além de Zoe Saldana e Cliff Curtis, estão: Michael Vartan, Lennie James, Callum Blue, entre outros.

Já no remake de "A Hora do Espanto" o espectador encontra tudo o que os filmes do gênero possuíam nos idos anos oitenta: um roteiro vazio compensado com cenas de ação e que embora pudessem ser muito melhores, constituem um divertimento livre de maiores compromissos.

Na trama, dirigida por Craig Gillespie, a vida de Charley Brewster (Anton Yelchin), ex-nerd e agora da turma dos mais populares da escola e com a namorada dos sonhos, Amy Peterson (Imogen Poots), muda de cabeça para baixo quando ele descobre que seu estranho vizinho Jerry (Colin Farrel) é um vampiro. Após um frustrado plano de resgate de uma jovem vítima de Jerry, Charley acaba despertando a fúria do morto-vivo. Sem ter ninguém que acredite em sua história, Charley,  sua namorada Amy e  sua mãe Judy Brewster (Toni Collette) lutam por suas vidas na mão de um vampiro furioso. Quando as coisas realmente dão errado - sua mãe fica hospitalizada e Amy é raptada - Charley se vê obrigado a recorrer ao ilusionista Peter Vincent (David Tennant), um suposto perito em criaturas sobrenaturais, para matar Jerry e impedir que Amy se transforme em uma vampira.
 
O filme peca por manter demais o clima oitentista, deveriam ter inovado um pouco e caprichado mais na trama. Não sei se o leitor já percebeu, mas muitos dos filmes da época, assistidos agora, perdem um pouco da magia e do fascínio que nos causava. Os produtores perderam uma oportunidade de recriar a franquia e dar-lhe um novo vigor. Não é um filme ruim, serve para passar o tempo.

Postado por Max.

Também publicado no blog do autor:  http://maxliteratura.blogspot.com.br/

Trailers:

/
Related Posts with Thumbnails
 

Design by / Thema base