Ocorreu um erro neste gadget

quinta-feira, outubro 13, 2011


Ratos - Gordon Reece

Comments
Oi gente!!!
Aproveitaram bem o feriado?? Nada como uma pausa no meio da semana para retomar as energias não é mesmo?!
Bom, vamos conferir a resenha de hoje né...


Autor: Gordon Reece
Editora: Intrínseca
ISBN: 9788580570700
Páginas: 238
Ano: 2011

Sinopse: Shelley e a mãe foram maltratadas a vida inteira. Elas têm consciência disso, mas não sabem reagir - são como ratos, estão sempre entocadas e coagidas. Shelley, vítima de um longo período de bullying que culminou em um violento atentado, não frequenta a escola. Esteve perto da morte, e as cicatrizes em seu rosto a lembram disso. Ainda se refazendo do ataque e se recuperando do humilhante divórcio dos pais, ela e a mãe vivem refugiadas em um chalé afastado da cidade. Confiantes de que o pesadelo acabou elas enfim se sentem confortáveis, entre livros, instrumentos musicais e canecas de chocolate quente junto a lareira. Mas, na noite em que Shelley completa dezesseis anos, um estranho invade a tranquilidade das duas e um sentimento é despertado na menina. Os acontecimentos que se seguem instauram o caos em tudo o que pensam e sentem em relação a elas mesmas e ao mundo que sempre as castigou. Até mesmo os ratos têm um limite.

Ratos é o primeiro livro adulto do autor, e sua estréia foi espetacular. Reece desenvolveu uma narrativa dinâmica e envolvente. Com a dose certa de detalhes, ele nos mostra o cotidiano de Shelley e sua mãe, ambas sempre viveram submissas perante todos, e por acumular tanta submissão acabam se afastando da sociedade, se mudam para um chalé isolado, sem vizinhos e com pouco acesso.

Como ratos, elas se escondem, evitam o contato com outras pessoas, não conseguem se impor quando são contrariadas, então o mais fácil para elas é se esconder.
O autor faz uma analogia da atitude das personagens com o comportamento dos ratos, sempre tentando se esconder, evitando chamar atenção.

"Eu sabia que era tímida; sabia que tinha tendência a chorar com facilidade, a tremer e a perder a voz com qualquer reprimenda ou sinal de agressão, mas foram necessários meses de bullying até que eu finalmente compreendesse que eu era aquilo: um rato, um rato humano" página 33

Porém, tudo na vida tem um limite, e é no aniversário de Shelley que as coisas começam a tomar outro rumo, um intruso acaba entrando sem ser convidado na toca das duas, transformando o que era uma vida calma e estável em um verdadeiro caos, fazendo com que uma atitude acarrete um série de acontecimentos, transformando radicalmente a vida das duas.

Mesmo a narrativa sendo uma primeira pessoa, temos uma visão ampla da estória, Shelley não poupa os detalhes, porém não exagera, o que é ótimo, pois não torna o livro cansativo. 
A leitura nos faz sentir aquele misto de compaixão e revolta com a situação, nos faz querer cobrar uma atitude das duas, mas compreende o porque de tanta omissão.

O livro é ótimo, fazia tempo que eu não lia um livro desse gênero que fosse tão bem desenvolvido e sem deixar nada sobrando ou faltando. Gostaria de destacar o trabalho da Intrínseca, que ficou ótimo, tanto com a diagramação como na tradução do livro.

Se você gosta de estórias fortes, com personagens marcantes, não perca tempo e leia logo este livro!!!

Beijos
Lis
/
Related Posts with Thumbnails
 

Design by / Thema base