Ocorreu um erro neste gadget

domingo, outubro 17, 2010


A Hospedeira - Stephenie Meyer

Comments
Quando Melanie, um dos humanos “selvagens” que ainda restam, é capturada, ela tem certeza de que será seu fim. Peregrina, a “alma” invasora designada para o corpo de Melanie, foi alertada sobre os desafios de viver dentro de um ser humano: as emoções irresistíveis, o excesso de sensações, a persistência das lembranças e das memórias vívidas. Mas há uma dificuldade que Peregrina não esperava: a antiga ocupante de  seu corpo se recusa a desistir da posse de sua mente.
Peregrina investiga os pensamentos de Melanie com o objetivo de descobrir o paradeiro dos remanescentes da resistência humana. Entretanto, Melanie ocupa a mente de sua invasora com visões do homem que ama: Jared, que continua a viver escondido. Incapaz de se separar dos desejos de seu corpo, Peregrina começa a se sentir intensamente atraída por alguém a quem foi submetida por uma espécie de exposição forçada. Quando os acontecimentos fazem de Melanie e Peregrina improváveis aliadas, elas partem em uma busca incerta e perigosa do homem que ambas amam.

Fazia muito tempo que queria ler esse livro, mas sempre tive um pé atrás pelo único motivo dele ser de ficção científica e eu detestar livros que abordem alienígenas, extraterrestres e coisas desse tipo. Mesmo sendo fã da Stephanie Meyer e de adorar a  narrativa envolvente que faz com que a gente se sinta  parte integrante da história eu fiquei com medo do livro ser ruim, mas ainda bem que me enganei.

O começo do livro é bem confuso e faz com que a gente tenha vontade de jogar o livro bem longe! Mas eu respirei fundo e continue e pouco a pouco fui entendendo e me encantado pela história. Achei bem criativo o universo que foi criado no livro, em que as Almas estão no comando e os humanos em extinção.

A grande parte do livro mostra mais a luta de Peg em manter-se viva e às vezes a repetição dela em torno da morte torna o livro cansativo. Também falta ação na maior parte do livro, mas totalmente compreensível para o desenrolar da história. O que realmente não falta no livro é o amor. Amor pela comunidade, amor maternal, amor romântico! O livro é repleto de emoções humanas e é contagiante! Foi impossível conter as lágrimas.

Pertinho do final é que o livro vai ficando mais interessante, pois Peg já não teme mais pela sua vida e a ação começa a acontecer! E a cada dia ela vai se tornando mais humana..

Torci muito por ela e pelo Ian, ele é uma fofura! Deu vontade de apertar as bochechas dele! O final pra mim foi totalmene imprevisível. Eu torci pra uma coisa e aconteceu outra completamente diferente, mas que apesar de tudo eu gostei!

Recomendo o livro para pessoas de espíriro leve e de alma sensível! Os apressadinhos devem passar longe, pois pode ser que se cansem da falta de ação!
É um livro maravilhoso para quem sabe apreciar as coisas boas dessa vida, como o amor! :)












/
Related Posts with Thumbnails
 

Design by / Thema base