Ocorreu um erro neste gadget

domingo, outubro 24, 2010


Resenha: Samantha Sweet, Executiva do Lar - Sophie Kinsella

Comments



Editora: Record
Autor: SOPHIE KINSELLA
ISBN: 9788501076748
Origem: Nacional
Ano: 2007
Edição: 1
Número de páginas: 512
Acabamento: Brochura
Formato: Médio

Sinopse:
Meu nome é Samantha, tenho 29 anos. Nunca assei um pão na vida. Não sei pregar botão. O que sei é reestruturar um contrato financeiro e economizar 30 milhões de libras para meu cliente. Samantha Sweet é uma advogada poderosa em Londres. Trabalha dia e noite, não tem vida social e só se preocupa em ser aceita como a nova sócia do escritório. Ela está acostumada a trabalhar sob pressão, sentindo a adrenalina correr pelas veias. Até que um dia... comete uma grande mancada. Um erro tão gigantesco que pode destruir sua carreira. Samantha desmorona, foge do escritório, entra no primeiro trem que vê e vai parar no meio do nada. Ao pedir informação em uma linda mansão, é confundida com uma candidata a doméstica e lhe oferecem o emprego. Os patrões não fazem idéia de que contrataram uma advogada formada em Cambridge, com QI de 158, e que não tem a menor noção de como ligar um forno! O caos se instala quando Samantha luta com a máquina de lavar... a tábua de passar roupa... e tenta fazer cordon bleu para o jantar... Mas talvez não seja tão incapaz como doméstica quanto imagina. Talvez, com alguma ajuda, ela possa até fingir. Será que seus patrões descobrirão que sua empregada é de fato uma advogada de alto nível? Será que a antiga vida de Samantha irá alcançá-la? E, mesmo se isso acontecer, será que ela vai querer de volta? A história de uma mulher que precisa diminuir o ritmo. Encontrar-se. Apaixonar-se. E descobrir para que serve um ferro de passar..

Sophie Kinsella, autora de chick-lits de sucesso como a série Delírio de Consumo, Lembra de Mim e Menina de Vinte, apresenta outro romance encantador com a advogada bem-sucedida, “Samantha Sweet, Executiva do Lar”.
É a história de uma mulher que precisa diminuir o ritmo. Encontrar-se e apaixonar-se. O livro proporciona muitas gargalhadas ao leitor.
Samantha Sweet era uma advogada bem-sucedida no Carter Spink, uma das empresas mais prestigiadas de Londres.  Quando Samantha está na iminência de ser nomeada sócia, ela comete um erro crítico, custando um dos clientes de 50 milhões da empresa.  Chocada por seu simples erro e a sua rescisão, Samantha foge do escritório.  Atordoada, ela faz seu caminho para o campo de Londres, onde é confundida por um generoso casal como sendo uma doméstica.  Sem saber o que fazer Samantha se passa por empregada e é contratada pelo casal.
Escondendo-se no campo, Samantha sofre sua própria transformação.  Enquanto se esforça para aprender a cozinhar e limpar, Samantha gradualmente supera o estresse e infelicidade de sua carreira anterior.  Em uma virada da sorte, ela também encontra o amor de sua vida.  Apesar de seus sentimentos por Nathaniel crescer, Samantha fica chocada ao saber de seu ódio pelos advogados. 
 Por si só, Executiva do lar é um doce chick-lit e bem-humorado de se lê.  Kinsella combina facilmente humilhação com vingança Samantha Sweet é um pouco excêntrica.  Em comparação com outros romances de Kinsella, Executiva do lar não chega a ser o melhor livro da autora.  É engraçado, mas não é tão bom como Menina de Vinte ou O Segredo de Emma Corrigan. Kinsella é conhecida por sua habilidade de criar terríveis, momentos embaraçosos. E é nesse mesmo clima que Kinsella escreveu esse livro.
Apesar de suas fraquezas, Executiva do lar ainda é uma deliciosa leitura.  Os fãs de Kinsella ficarão satisfeitos pelo romance, que na verdade, tem um final fantástico, e as mulheres que tentam conciliar carreira e trabalhos domésticos podem facilmente se relacionar com Samantha. Em geral, Executiva do lar é bonito e leve, perfeito para a leitura de férias.

Trecho do livro:

"Levanto a tábua e tento deslizar as pernas - mas elas não se mexem. Minhas bochechas estão queimando enquanto tento interminavelmente ajeitar a tábua, virando de um lado para o outro. Como essa porra funciona?
- Na verdade, pensando bem - digo casualmente - gosto de uma tábua de passar baixinha. Vou deixar assim.
- Você não pode passar aí embaixo! - diz Trish com riso atônito - É só puxar alavanca! Precisa de puxão forte... vou mostrar.
Ela pega a tábua comigo e em dois movimentos ajustou exatamente na altura certa - Acho que você usava um modelo diferente - acrescenta com sabedoria enquanto ela se trava de novo - Cada uma tem seus truquezinhos.
- Sem dúvida! - digo agarrando-me com alívio a essa desculpa - Claro! Estou mais acostumada a trabalhar com uma... uma... Ninbys 2000.
Trish me olha, surpresa. - Essa nao é a vassoura do Harry Potter?
Porra. Eu sabia que tinha ouvido em algum lugar."



domingo, outubro 17, 2010


A Hospedeira - Stephenie Meyer

Comments
Quando Melanie, um dos humanos “selvagens” que ainda restam, é capturada, ela tem certeza de que será seu fim. Peregrina, a “alma” invasora designada para o corpo de Melanie, foi alertada sobre os desafios de viver dentro de um ser humano: as emoções irresistíveis, o excesso de sensações, a persistência das lembranças e das memórias vívidas. Mas há uma dificuldade que Peregrina não esperava: a antiga ocupante de  seu corpo se recusa a desistir da posse de sua mente.
Peregrina investiga os pensamentos de Melanie com o objetivo de descobrir o paradeiro dos remanescentes da resistência humana. Entretanto, Melanie ocupa a mente de sua invasora com visões do homem que ama: Jared, que continua a viver escondido. Incapaz de se separar dos desejos de seu corpo, Peregrina começa a se sentir intensamente atraída por alguém a quem foi submetida por uma espécie de exposição forçada. Quando os acontecimentos fazem de Melanie e Peregrina improváveis aliadas, elas partem em uma busca incerta e perigosa do homem que ambas amam.

Fazia muito tempo que queria ler esse livro, mas sempre tive um pé atrás pelo único motivo dele ser de ficção científica e eu detestar livros que abordem alienígenas, extraterrestres e coisas desse tipo. Mesmo sendo fã da Stephanie Meyer e de adorar a  narrativa envolvente que faz com que a gente se sinta  parte integrante da história eu fiquei com medo do livro ser ruim, mas ainda bem que me enganei.

O começo do livro é bem confuso e faz com que a gente tenha vontade de jogar o livro bem longe! Mas eu respirei fundo e continue e pouco a pouco fui entendendo e me encantado pela história. Achei bem criativo o universo que foi criado no livro, em que as Almas estão no comando e os humanos em extinção.

A grande parte do livro mostra mais a luta de Peg em manter-se viva e às vezes a repetição dela em torno da morte torna o livro cansativo. Também falta ação na maior parte do livro, mas totalmente compreensível para o desenrolar da história. O que realmente não falta no livro é o amor. Amor pela comunidade, amor maternal, amor romântico! O livro é repleto de emoções humanas e é contagiante! Foi impossível conter as lágrimas.

Pertinho do final é que o livro vai ficando mais interessante, pois Peg já não teme mais pela sua vida e a ação começa a acontecer! E a cada dia ela vai se tornando mais humana..

Torci muito por ela e pelo Ian, ele é uma fofura! Deu vontade de apertar as bochechas dele! O final pra mim foi totalmene imprevisível. Eu torci pra uma coisa e aconteceu outra completamente diferente, mas que apesar de tudo eu gostei!

Recomendo o livro para pessoas de espíriro leve e de alma sensível! Os apressadinhos devem passar longe, pois pode ser que se cansem da falta de ação!
É um livro maravilhoso para quem sabe apreciar as coisas boas dessa vida, como o amor! :)












domingo, outubro 03, 2010


À caça de Harry Winston - Lauren Weisberger

Comments


Leigh, Adriana e Emmy são três amigas que estão beirando os trinta anos e apesar de tudo o que já conquistaram, ainda acham que não têm a vida que sempre sonharam. Leigh tem uma vida perfeita: tem o namorado dos sonhos, trabalha em uma das melhores editoras e tem um ótimo apartamento! Tirando a vizinha do andar de cima..
Emmy é  meiga, sensível! Sonha desde adolescente com o casamento dos sonhos e em ter filhos. Adriana é uma brasileira que não sabe o que a palavra compromisso significa!
Tudo estava normal até Emmy ser trocada pela personal trainner que ela própria contratou para Duncan, seu namorado há cinco anos. Ela então faz uma aposto com Adriana que muda a vida das três amigas.




O livro é maravilhoso! Desde o primeiro capítulo que  já me prendeu completamente!
Achei bem interessante a aposta entre Emmy e Adriana e de como isso consegue mudar a vida não só das duas amigas, mas das três!
A leitura é leve, divertida e interessante. Quem gosta de um Chicl-lit não deve deixar de ler!
A história é narrada pelas três protagonistas e às vezes pode parecer um pouco confuso, pois a narrativa é interrompida abruptamente para dar lugar a narrativa de uma outra personagem.
Outro ponto negativo é que os capítulos são enormes e eu achei muito esteriotipada a imagem da mulher brasileira, como sendo fácil, fútil e só querer um cara com dinheiro.
Tirando esses pequenos detalhes, o livro é maravilhoso e é difícil parar de ler, pois queremos saber o desenrolar da história!
Recomendo para todos aqueles que gostam de um bom Chick-lit e para aqueles que querem ler algo desprentencioso e leve!

/
Related Posts with Thumbnails
 

Design by / Thema base